Abertura e Encerramento de Empresa - Advogado Trabalhista em BH

Nosso Blog

Abertura e Encerramento de Empresa

Como funciona a Abertura e Encerramento de uma empresa?

Abertura e Encerramento de Empresa

Abertura, alteração ou encerramento de uma empresa, depende de vários aspectos legais trabalhistas ou previdenciários que devem ser observados e que, e muitas vezes, são desconhecidos pelos que estão ingressando ou até mesmo já são empresários.

Para que não incorram em equívocos que possam comprometer a “vida” ou o sucesso da empresa é importante que os empresários, caso não tenham o domínio das necessidades, procurem orientações de profissionais capacitados para que as obrigações estabelecidas pela legislação sejam atendidas.

Documentos e informações devem ser verificados, assim como avaliar os ativos e passivos da pessoa jurídica e verificar a existência de dívidas tributárias, trabalhistas e com credores, no caso de uma empresa já existente.

De acordo com o art. 966 do Código Civil, compreende-se como empresa a firma individual ou sociedade que assume o risco de atividade econômica urbana ou rural, com fins lucrativos ou não, bem como os órgãos e entidades da administração pública direta, indireta e fundacional.

Aspectos Trabalhistas e Previdenciários em Empresas

Inicialmente, quanto aos aspectos trabalhistas e previdenciários, consoante o art. 12 do Decreto 3.048/99, equiparam-se a empresa:

  1. O contribuinte individual, em relação ao segurado que lhe presta serviços;
  2. A associação ou a entidade de qualquer natureza ou finalidade, inclusive o condomínio;
  3. Cooperativa, conforme entendimento do inciso II, do § 4º do art. 3º da IN RFB 971/2009,  e nos arts. 1.093 e seguintes da Lei  10.406/2002;
  4. A missão diplomática e a repartição consular de carreira estrangeiras;
  5. O operador portuário e o órgão gestor de mão de obra;
  6. e o proprietário do imóvel, o incorporador ou o dono de obra de construção civil, quando pessoa física, em relação a segurado que lhe presta serviços.

Formalização da Empresa

Todavia, antes da abertura de uma empresa é preciso elaborar de um cronograma de trabalho com o contador.

Para tanto, nem sempre é necessário pagar todo o serviço (serviços prestados e taxas) de uma única vez ao contador.

Isto é, pode haver um acordo de pagamento de parte do serviço e das taxas conforme as necessidades de cada atividade ou exigências dos órgãos públicos.

Ademais, diferentemente dos microempreendedores individuais que ganham o CNPJ na hora através de um simples cadastro na internet, as demais empresas levam até meses para ter toda a documentação regularizada, dependendo do tipo de atividade e dos requisitos legais que estas atividades irão exigir.

Outrossim, o cronograma para a abertura da empresa pode envolver normalmente os seguintes procedimentos:

  • Definição da razão social, endereço, o CNAE, quadro societário e o tipo de tributação exigida por lei;
  • Elaboração do contrato social para registro perante a Junta Comercial e Receita Federal;
  • Providenciar o Certificado Digital (a maioria das empresas devem se utilizar do certificado para o recolhimento dos impostos ou para emitir certidões perante os órgãos federais);
  • Alvará de funcionamento (cada município pode ter regras próprias para emissão do alvará);
  • Nota fiscal eletrônica;

Matrícula da Empresa

A Pessoa Jurídica deverá proceder a inscrição no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas do Ministério da Fazenda (CNPJ/MF), para empresas ou entidades equiparadas.

Para tanto, deve ser obrigada à inscrição ou o Cadastro Nacional de Obras (CNO), para obras de construção civil.

Com efeito, ao realizar este procedimento, a empresa estará automaticamente matriculada no INSS.

Ainda, as empresas que não estejam sujeitas à inscrição no CNPJ, deverão proceder à sua matrícula perante o INSS.

Isto deverá ocorrer no prazo de 30 dias contados da data do início das suas atividades, do início da obra, da comercialização da produção rural ou da contratação de trabalhador.

A matrícula deverá ser feita, conforme o caso, por meio do preenchimento do formulário “Concessão de Matrícula CEI”.

Tata-se do documento hábil pelo qual o INSS pode realizar as inclusões, alterações e exclusões no Cadastro de Empresas do INSS.

Além disso, a identificação da empresa dar-se-á pelo certificado de matrícula, com número cadastral básico de caráter permanente (Cadastro Específico do INSS – CEI).

Por fim, a matrícula da empresa poderá ser efetuada de ofício, quando o contribuinte não regularizou a sua inscrição no CNPJ ou CEI, conforme o caso.

Neste caso, a matrícula é efetuada pelo Posto de Arrecadação e Fiscalização, com base nas informações prestadas pela fiscalização, respeitada sua vinculação ao CNPJ ou CEI.

Se tiver interesse em contratar profissionais especializados tanto nesta área, como em outras, fale conosco!

Gostou do conteúdo? Compartilhe!